Blog do Diário2019-09-23T08:43:57-03:00

Blog do Diário


Neste espaço, os editores do site vão dizer tudo o que pensam sobre o passado, o presente e o futuro do Santos Futebol Clube.

1404, 2020

Hoje é muito fácil torcer para o Santos

Seleção do Santos no Século XXI. Atualmente, é muito fácil torcer para o Santos (Ilustração: Camilo Carvalho) O Santos completa 108 anos de vida nesta terça-feira. Destes, eu me formei como torcedor, provavelmente, nos 18 anos mais difíceis dessa gloriosa história. Nasci em 1977, filho de pai santista e "Gol, Juari!" foram algumas das primeiras palavras que aprendi a falar. Depois, tive em Rodolfo Rodriguez e Serginho Chulapa os primeiros ídolos santistas. Mas, praticamente junto com a minha entrada na escola, começou o período mais difícil. Quase sempre fui o único santista da classe ou, ao menos, o único que vestia a camisa e assumia o clube. Por cerca de dez anos, muitos amigos quase colocavam a mão na frente da boca para dizer que torciam para o Santos. Nada dava certo. Os jogadores que começavam a se destacar no clube eram trocados com rivais por jogadores de qualidade técnica discutível. César Sampaio para o Palmeiras e vieram Ranielli e Serginho Fraldinha. [...]

2303, 2020

O DIÁRIO e a quarentena

Nova logo do DIÁRIO destaca a importância de ficarmos em casa (Crédito: Diário) Amigos santistas, estamos em um momento sem precedentes na nossa geração. A paralisação dos campeonatos e a quarentena para evitar o avanço do novo coronavírus provocaram um cenário completamente novo para os clubes de futebol, seus torcedores e até mesmo veículos de mídia (alguns canais, por exemplo, suspenderam seus programas). O DIÁRIO entende a gravidade da situação e destaca a importância de todos ficarmos em casa na quarentena. Nós até mesmo mudamos a nossa logo para chamar a atenção dos santistas para a necessidade de aceitarmos a determinação das autoridades. Mas entendemos também que o torcedor precisa ter opções nesse momento tão difícil para se distrair, para não ficar apenas com as más notícias do avanço da Covid-19 pelo mundo, para que a saúde mental não seja afetada durante o período, que ainda não sabemos quanto tempo vai durar. Por isso, nós vamos seguir aqui levando ao torcedor [...]

1303, 2020

Santos e sua capacidade de gerar as próprias crises

Comitê de Gestão voltou a entrar em choque com o Conselho Deliberativo (Crédito: Ivan Storti/Santos FC) O Santos é um clube dividido. É dividido entre santistas de Santos e santistas de São Paulo, dividido entre famílias que sempre se serviram do clube (e dividido até mesmo dentro de algumas dessas famílias), dividido em dezenas de grupos políticos, que normalmente se aliam em época de eleição em projetos apenas de poder. Diante desse cenário, nenhum clube sofre tanto com "fogo amigo" quanto o Santos. A gestão atual é um grande exemplo, com presidente e vice que não se falam, com um trabalhando contra o outro desde o início do mandato (é exemplo, mas o problema não é exclusivo dessa gestão). Com o presidente, um santista de São Paulo, chamando a Vila de "puxadinho" no início do mandato e pregando o "choque" e não a união na divisão de jogos entre Vila e Pacaembu (depois percebeu a besteira e tentou amenizar o discurso). [...]

903, 2020

Robinho é símbolo de um Santos vencedor e maior que Neymar

Na história do Santos Robinho será maior do que Neymar (Crédito: Divulgação) Ano sim, outro também, o atacante Robinho é alvo de especulações sobre a sua volta ao Santos. Não tenho a informação, mas tenho a sensação de que ele voltará neste ano ao final do seu contrato com o Istanbul Basaksehir, da Turquia. Em enquete realizada pelo DIÁRIO DO PEIXE, 75% dos torcedores aprovam a contratação do atacante. A maioria nem sabe que ele é, atualmente, reserva do Istanbul Basaksehir, que lidera o Campeonato Turco, muito menos que ele marcou pela última vez no dia 12 de outubro do ano passado. Torcedores querem a contratação de Robinho porque ele é um símbolo de um Santos vencedor. Um símbolo que a famosa "geração do quase" apagou da memória dos santistas. O último título do Peixe foi em 2016. Robinho teve três passagens pelo Santos e conquistou títulos em todas elas. Na primeira, o bicampeonato brasileiro em 2002 e 2004, com uma [...]

403, 2020

Sánchez é o líder que o Santos precisava

Carlos Sánchez assumiu o papel de líder do Santos (Crédito: Ivan Storti/SantosFC) Depois de um desempenho péssimo nos sete primeiros jogos da temporada, o Santos mudou. Se a organização tática ainda deixa (e muito) a desejar, a postura dos jogadores em campo é outra. A atitude ficou clara no primeiro tempo do clássico contra o Palmeiras e na estreia na Copa Libertadores diante do Defensa Y Justicia. A mudança passa muito pela postura e pela atuação de Carlos Sánchez, que merecidamente utilizou a braçadeira mais histórica do futebol mundial, a única com um Z, na partida desta terça. Teria partido de Carlos Sánchez as cobranças por uma mudança de atitude do time, uma marcação mais alta, com a pressão na saída de bola. Ele não só cobra, mas dá o exemplo sendo o jogador mais aguerrido da equipe e um dos melhores em campo na vitória sobre o Defensa y Justicia. O torcedor do Santos reclamava da geração do quase, quando [...]

2302, 2020

Jesualdo não é o maior culpado

Santos errou feio na aposta em Jesualdo Ferreira e na condução dos primeiros meses de trabalho (Crédito: Divulgação) Acredito que nem no início da era Jair Ventura eu acompanhei uma rejeição tão grande a um técnico quanto vejo em relação ao trabalho de Jesualdo Ferreira no comando do Santos. Talvez isso deixe claro que o maior culpado por essa situação não é o treinador, mas quem o contratou. Explico. A aposta na contratação foi errada, como eu mesmo falei nesse vídeo aqui em nosso canal no Youtube quando ele foi anunciado. Jesualdo Ferreira fez ótimo trabalho no Porto entre 2006 e 2010, é inegável. Mas depois disso a carreira dele não deslanchou, como aconteceu com outros técnicos portugueses, como José Mourinho, André Villas Boas, entre outros. Ele fez um trabalho ruim no Málaga, da Espanha, clube em que ficou apenas cinco meses. Um trabalho de médio para ruim no Panathinaikos, da Grécia, um trabalho ruim no Sporting (apenas cinco meses), outro trabalho [...]