O último trabalho de Sampaoli foi na seleção da Argentina (Crédito: Divulgação)

SANTOS – Enfim, uma boa notícia no planejamento do Santos para 2019. A contratação de Jorge Sampaoli, antecipada por esta coluna no início da madrugada desta quinta-feira, acende uma luz no fim do obscuro túnel que até então se apresentava ao Peixe para a próxima temporada.

Embora tenha fracassado com a Argentina na Copa da Rússia (caiu nas oitavas de final), no meio do ano, Sampaoli tem um currículo internacionalmente respeitável. Seu auge foi em 2015, quando elevou o Chile ao status de seleção de ponta ao conquistar a Copa América.

Antes, o técnico argentino já havia despertado o interesse de grandes clubes da América do Sul com um excelente trabalho na Universidad de Chile, pela qual venceu três títulos nacionais e a Copa Sul-Americana, entre 2011 e 2012.

Na Europa, Sampaoli comandou o Sevilla na temporada 2016\2017. Não conquistou títulos, mas teve desempenho aceitável, considerando sua primeira experiência no centro do futebol mundial. Venceu 27 dos 53 jogos realizados à frente do time espanhol, aproveitamento de 58,49%.

Portanto, experiência e resultados não vão faltar para que o treinador argentino dê certo em sua estreia no futebol brasileiro. Resta saber se isso será suficiente para que Sampaoli possa superar o ambiente conturbado e a falta de entendimento entre os dirigentes do Santos, como se viu ao longo de 2018.