Por Carol Mulheres em campo

Superação, força, talento, referência, amor à camisa… Poderia utilizar diversos termos que se enquadrariam à aquelas que defendem e honram o manto alvinegro dentro de campo.

Diferentemente de muitos clubes que pregam a democracia ou fazem comparações infelizes denegrindo a imagem da mulher, o Santos faz diferente, desde 1997, criando as Sereias da Vila quando a Federação Paulista de Futebol resolveu promover a primeira edição de um campeonato estadual da modalidade.

Na semana do dia internacional da mulher, comemorado no dia 8 de março, o momento é de reflexão e de luta, afinal, em pleno século XXI, o futebol feminino ainda sofre preconceitos, falta de patrocínios e desigualdade de salários.

Pela alta estrutura e investimentos, o Santos, aos poucos, foi se tornando uma potência na categoria e enquanto muitos apenas “emprestam” suas camisas para as atletas jogarem, o Peixe oferece mais. Além de convênios e carteira assinada, o clube também disponibiliza seguro saúde, preparação física, fisioterapia e escolinha de base para as futuras sereias.

Tivemos a honra de ter a rainha do futebol vestindo o nosso manto, assim como também tivemos o rei. Aliás, Marta já ganhou SEIS BOLAS DE OURO DA FIFA, sendo a maior ganhadora de todas as premiações da entidade, superando até mesmo Messi e Cristiano Ronaldo. E ainda tem gente que diz que o futebol feminino não importa?

Temos atualmente, pela primeira vez, uma treinadora mulher e que também foi a primeira treinadora mulher da Seleção Brasileira na modalidade. Pode parecer algo simples, mas a representatividade que a Emilly Lima carrega meus amigos, não é pouca coisa!

São mais de 20 títulos em 22 anos de história. E por mais que o Santos seja uma referência no esporte, a situação não é a mesma em diversas equipes de futebol feminino no país e no mundo, chegando a ter que se tornar uma obrigação que os clubes tenham uma equipe de futebol feminino para que as equipes masculinas possam disputar campeonatos.

A desigualdade de salário, patrocínios, lucros e o público também continuam sendo obstáculos. Na Vila Belmiro, é comum encontrarmos um bom público na apresentação das sereias, pois nós alvinegros abraçamos a causa, porém, a causa não é abraçada pelo restante do país.

Temos mulheres guerreiras em campo, que merecem valorização, que dão o sangue com amor e que são mais que jogadoras… São torcedoras!

Que sigamos sendo sempre referência. E que a temporada 2019 seja repleta de vitórias!

Pela igualdade, respeito, pelo direito de jogar e de torcer.

Que sejamos sempre grandes vozes em campo e fora dele.

Santos Mil Grau arrebenta!!