SANTOS – Que o Santos está dividido em diversos grupos políticos, todos ávidos em tomar o poder, e que o presidente José Carlos Peres não é nada hábil para desempenhar o papel de conciliador, todos estão carecas de saber. Assim como já perceberam que o técnico Jorge Sampaoli e alguns jogadores não fazem nenhuma questão de lavar roupa suja em casa.

Se esse cenário não for alterado, pelo menos temporariamente, o Peixe vai ter muita dificuldade para manter a liderança do Brasileiro e até de brigar por uma vaga direta na Libertadores. O que seria uma pena, pois o trabalho feito pelo técnico argentino dentro de campo é brilhante e pode mesmo levar o time ao título mais importante do país.

Portanto, já passou da hora de dirigentes, comissão técnica e elenco agirem mais com a razão e menos com o fígado. Apesar da derrota no clássico contra o São Paulo, consequência muito mais de erros individuais crassos do que da superioridade do adversário, o Peixe continua com grande possibilidade de virar o turno na liderança e se tornar campeão, como normalmente ocorre na história dos pontos corridos.

A sequência do Santos até o fim da primeira metade do campeonato é um pouco complicada, mas acredito que o time de Sampaoli pode conquistar pelo menos dez dos 15 pontos em disputa, o que deve ser suficiente para mantê-lo em primeiro. Serão três jogos fora (Cruzeiro, Chapecoense e Flamengo) e dois em casa (Fortaleza e Atlético-PR). Se ninguém atrapalhar…