O matador de gambá

Por | 2019-03-10T13:46:38+00:00 10 de março de 2019, 13:46 |

Por Guilherme Amparo

Santos x Corinthians.

Os Gambás virão assim:

Cássio
Fagner
Manoel
Henrique
Agilar
Jr Urso
Sornoza
Clayton
Pedrinho
Boselli

A novidade nos mulambos é a saída de Gustavão. O atleta será poupado no clássico. O jogador não está 100% para a partida, e ficará para depois. A bola da vez dos gambás é o argentino Boselli. Apesar de não enxergar muita coisa nesse jogador, o Santos terá uma atenção especifica com o jogador.

O Santos:

Vanderlei
Jerry Smit da Baixada
Gustavão Redentor
Frank Aguillar
Meu Vei
Cachorro Loko
Diego Bituca
Ticole
Pato Sanchez
Jean Meiota
Derlis Gonçalves.

O Kuririn vai fechar a casa de cabloco com a entrada do Ticole. E desta forma que levaremos a vantagem no meio de campo. Vamos sair no erro dos Gambás, e meter fumo. Pra cima deles, Santos.

Agora vamos falar da história do clássico:

O Matador de Gambá.

25/10/1992 – Corinthians 1 x 3 Santos
Gols: Paulo Sérgio aos 31min e Guga aos 34min do primeiro tempo; Guga aos 2min e aos 18min do segundo tempo
Local: Estádio Morumbi, em São Paulo
Competição: Campeonato Paulista.

A palavra de ordem no clássico era terminar o incômodo jejum de 4 anos sem vitórias sobre o rival Corinthians. Para este clássico, o técnico Geninho, na época, montou, escalou o peixão no esquema 4-3-3, com a entrada de Gallo no lugar do Marcelo Passos, rei do gol na gaveta, para reforçar a marcação e dar liberdade total para o trio ofensivo com: Almir, Guga e Cilinho. O Santos necessitava de 2 pontos para obter a classificação para a fase final do torneio e a promessa entre os jogadores era a busca por essa esperada vitória pela torcida santista.

Nascia ali o matador de Gambá, Guga, um dos últimos centroavante que deixava os “mulambentos da marginal sem número” em choque. Quando Guga jogava contra os Gambás, era no mínimo uns 3 gols por partida. Gabriel “Arantes” do Nascimento Barbosa, GabiGoku, também guardou muitos gols nos Gambás, mas agora ele “roeu a corda” e virou filhotinho de Urubu.

Agora nós temos um paraguaio nervoso para os dias de clássico, nosso CR7 de Assunção, Derlis. O cara já meteu fumo nos Bambis logo na sua estréia, depois voltou a marcar na casa do adversário. Esperamos por um novo matador de Gambá. O Santos já teve muitos centroavantes com faro de gol, mas ficamos carente de alguns anos para cá. O estilo de jogo mudou um pouco, mas continuamos com o nosso DNA ofensivo. O nosso pelezinho, Rodrygo, têm que deixar os Gambás sem saber o caminho de casa.

Será que o Kuririn da baixada, Sampaoli, sabe da importância do clássico? Tomará, pois segunda feira quero ir trabalhar bêbado, novamente, mas com um sorriso na cara. Os últimos jogos entre às equipes não foram marcantes. Não tiveram muita graça. Hoje tem que ser uma verdadeira guerra dentro da bola.

O Santos vai com força máxima para o clássico. Não é aquela força tão grande…. Aquela forçona, mas vem dando certo. Até porque o time vem jogando bem. O importante é que o Jean Meiota está confirmado para partida, e com ele em campo teremos a rede balançando.

Eu já liguei para minha mãe de Santo: falei pra ela colocar o nome do Vandeuslei na corrente de oração. Domingão é dia de matar Gambá! Só a vitória interessa. Já mandei entregar uma bacia de barro, com 7 velas e sal grosso para tirar a zica do Sánchez, tomara que ele não esteja com a mesma sorte dá última quinta-feira. Deus me defenda!

Nosso time têm que tomar cuidado com esse Boselli. O cara tem faro de gol. Tomara que o Frank Aguillar de Medellín esteja ligado no jogo. O time da marginal sem número só tem essa jogada área, nunca vi um time tão horrível como o dos gambás nesse ano. Tô sentindo cheiro de goleada, mas 1×0 já tá valendo.

Vamos mostrar que, como dizem, a 4° força será a supresa desse começo de temporada.

Santos Mil Grau, Vraul!!!

  • Comentar via Facebook
  • Comentar via Diário
Carregando comentrios...

Deixar um Comentário