Marcelo Teixeira preside atualmente o Conselho Deliberativo do Peixe (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

A definição da pré-candidatura de Andrés Rueda à presidência do Santos causou um duro golpe ao grupo União. O ex-presidente Marcelo Teixeira, um dos nomes de peso da chapa, foi contrário à escolha e vai anunciar sua saída nos próximos dias.

Atual presidente do Conselho Deliberativo santista, Teixeira comandou o clube duas vezes (de 1991 a 93 e de 2000 a 2009). Quando tentou a reeleição no final de 2009, foi superado nas urnas por Luís Álvaro Ribeiro, o Laor, que faleceu em 2016.

Desde então, Teixeira é sempre cotado para lançar candidatura, mas tem preferido apoiar outros candidatos, como fez em 2014 e 2017 com Modesto Roma Júnior. Porém, desta vez, ele parece decidido a concorrer novamente ao principal cargo executivo do Peixe.

Além da intenção de ser candidato, outro fator que pesa para a iminente saída de Teixeira do “chapão”, como vem sendo chamada o grupo União, é a defesa que Rueda e seus apoiadores mais próximos fazem ao modelo de gestão colegiada vigente no Santos, muito contestado pelo ex-presidente.

Outros dois pontos desagradaram Teixeira na escolha de Rueda: ele não foi convidado e nem avisado da reunião que ocorreu no domingo em São Paulo, encontro que definiu a candidatura de Rueda; outro fator é que Teixeira queria pelo menos o vice-presidente da chapa um nome mais ligado a cidade de Santos, uma vez que Rueda tem casa na cidade, mas não é sua residência fixa.