Na veia 2017-12-04T18:14:50+00:00

Na veia

Vagner Frederico é jornalista esportivo e acompanha o Santos há 18 anos, 11 deles como repórter setorista do Diário de São Paulo. Atualmente, é comentarista do programa Esporte por Esporte, da TV Santa Cecília, líder em audiência na Baixada Santista.

1905, 2018

Não dá para aguentar tanta teimosia

SANTOS – Juro que gostaria de tratar de outro assunto desta vez. Pensei em escrever sobre a redenção de Gabigol nos últimos jogos ou a valorização crescente do menino Rodrygo no mercado europeu, e outros temas relevantes do Santos nos últimos dias. Mas nada chama mais a minha atenção do que a teimosia de Jair Ventura... Achei que a derrota humilhante para o Grêmio, pela penúltima rodada do Brasileiro, fosse servir de lição ao jovem treinador santista. Que nada. Mesmo diante de adversários modestíssimos como o Luverdense e o Paraná, o Peixe de Jair voltou a se comportar como uma equipe medíocre e covarde em seus compromissos seguintes. Embora tenha vencido o Paraná (lanterna do Brasileiro) por 3 a 1 e o Luverdense (time da Série C) por 5 a 1, em sua estreia na Copa Brasil, o Santos só conseguiu construir essas vitórias no segundo tempo e chegou a ser pressionado por essas equipes, em plena Vila Belmiro. Tanto que nos dois jogos [...]

805, 2018

Jair precisa conhecer a história do Santos

SANTOS – Com todo respeito ao glorioso Botafogo, Jair Ventura precisa entender que hoje dirige um time de um patamar bem acima no país. Enquanto o clube que já teve Garrincha e Nilton Santos perdeu o bonde da história no fim dos anos 60 e se transformou em coadjuvante além das fronteiras do Rio, o Peixe continua gigante e precisa ser tratado como tal. Se não entender essa diferença rapidamente, Jair Ventura não terá vida longa no Santos. E isso passa basicamente pelo abandono imediato e definitivo do esquema extremamente cauteloso e defensivo (pra não dizer covarde) que utilizou com relativo sucesso no Botafogo nas últimas duas temporadas, e agora insiste em adotar no Peixe. O que Jair não percebeu ainda é que esse seu modelo de jogo (aparentemente o único que conhece) não combina com a aspiração do santista. A ousadia e a irreverência fazem parte da tradição do clube desde o surgimento da primeira geração de jovens craques produzidos na Vila Belmiro, [...]

2704, 2018

Está na hora de Jair ser mais ousado

SANTOS – Jair Ventura e seus comandados têm feito um bom trabalho no Santos. Isso é inegável. Os resultados e até mesmo o desempenho do time dentro de campo comprovam esse fato. Mas também é claro pra mim que o Peixe tem potencial para render e sonhar muito mais alto. Apesar da sua indiscutível carência de homens criativos no meio de campo, o elenco santista está entre os melhores do Brasil. Afinal, qual time brasileiro não tem algum ponto frágil? O Corinthians, por exemplo, acabou de ser campeão paulista sem um ataque confiável. Mais do que um camisa dez, falta ao Santos um pouco de autoconfiança e ousadia para chegar ao seu ápice. E essa é uma tarefa que passa muito pelas mãos do técnico. Chegou a hora de Jair Ventura soltar mais seus jogadores e explorar o enorme potencial ofensivo da equipe. A mudança de algumas peças também pode ajudar a melhorar o desempenho do Peixe. Estou convencido de que Jair ainda não [...]

1704, 2018

É só os dirigentes não atrapalharem…

SANTOS – Finalmente, depois de 12 anos, o Santos estreou com vitória no Campeonato Brasileiro. E começar bem uma competição tão longa e equilibrada como essa é fundamental para quem pensa em brigar pelo título, especialmente no caso de uma equipe jovem e ainda em formação, como a do Peixe. Isso dá confiança e tranquilidade para a sequência do trabalho. É claro que o Santos do técnico Jair Ventura ainda vai encarar adversários muito mais complicados do que o modesto Ceará, mas o bom desempenho ofensivo na estreia mostrou que o time começa a encontrar uma boa alternativa para compensar sua maior fragilidade: a ausência de um meia criativo, o tal camisa dez. Sem um maestro, Jair fixou Alison à frente dos zagueiros e transferiu a responsabilidade de armar o time a Léo Cittadini e Jean Mota, e manteve o esquema quando ambos foram substituídos por Vitor Bueno e Diego Pituca, respectivamente. Função semelhante à que exercem Paulinho e Renato Augusto quando estes atuam [...]

204, 2018

Saldo do primeiro trimestre foi positivo

SANTOS – Entre erros e acertos de gestão, não há como negar que, ao menos dentro de campo, o desempenho do Santos neste primeiro trimestre do ano foi positivo. Apesar da eliminação no Campeonato Paulista, o time tem apresentado evolução e certamente vai ficar mais competitivo com a chegada de reforços pontuais. É claro que é mais difícil para a torcida aceitar uma eliminação, mesmo numa competição de menor importância como o Campeonato Estadual, mas é preciso levar em conta que o clube iniciou um trabalho do zero em 2018. Além de estar sob nova administração política, sofreu mudança de comissão técnica e profunda reformulação no seu elenco de jogadores. E, ao contrário do que ocorre neste ano, os protagonistas da equipe na última temporada eram jogadores rodados e experientes, acostumados a lidar com todo tipo de pressão, como Ricardo Oliveira e Lucas Lima. Agora, parte desse papel cabe a jovens promessas, promovidas recentemente das categorias de base do clube, como Rodrygo e Arthur [...]

2303, 2018

Procura-se camisa dez. Tratar na Vila

SANTOS – Os dois confrontos decisivos diante do Botafogo confirmaram que o time do Santos permanece acéfalo desde a saída de Lucas Lima, no fim do ano passado. Como o clube não tem dinheiro para contratar, o técnico Jair Ventura tem buscado uma solução caseira, mas até o momento ninguém do elenco mostrou capacidade para vestir a camisa dez mais importante do planeta. O primeiro a ser testado na posição foi o argentino Emiliano Vecchio. Ele é o mais experiente entre os candidatos, tem boa técnica e visão de jogo, mas faltam-lhe velocidade e vigor físico para comandar a equipe. Jean Mota, antes improvisado na lateral esquerda, teve sua chance nos jogos contra o time de Ribeirão Preto e foi ainda mais discreto. Não tem criatividade e talento para ser protagonista. Na minha opinião, o garoto Vitor Bueno é o mais capacitado para exercer essa importante função. Tem velocidade, bom passe e sabe finalizar. Seu problema é a falta de ritmo e confiança, pois [...]