Próxima eleição ocorrerá no final desse ano (Crédito: Reprodução)

A última eleição no Santos foi em 2017, mas o pleito voltou a ser assunto nos bastidores do clube nessa semana. A Comissão Temporária que acompanha os trabalhos da Secretaria Social fez uma denúncia, através do conselheiro Rodrigo Marino, de possível fraude na eleição. A informação foi publicada primeiramente pelo Portal UOL.

A denúncia foi feita na reunião virtual do Conselho Deliberativo (CD) do Peixe realizada na última quarta-feira. O presidente do CD, Marcelo Teixeira, conversou com o DIÁRIO DO PEIXE e falou sobre o assunto.

“Ele (Rodrigo Marino) apenas informou na reunião virtual de ontem que fez um estudo baseado no trabalho do Comitê de Gestão (CG) de CPF’s. Não temos os critérios e formas desta apuração. O CG informa ter feito um trabalho na secretaria social, a Comissão Temporária do CD indica a necessidade de contratação de uma auditoria homologada pelo plenário do CD para se criar regras e padrões. Na realidade, independente desta suposta denúncia do conselheiro, enviaremos um ofício ao CG propondo uma reunião virtual para definir o assunto”.

E eleição de 2017 foi apertada. A chapa formada por José Carlos Peres e Orlando Rollo recebeu 1.851 votos e superou Modesto Roma, que concorria à reeleição, e Andres Rueda (que ficou em terceiro). Os dois, juntos, receberam 1.661 votos. O Santos tem novas eleições previstas para esse ano, mas ainda não há uma definição da data.