Bryan Ruiz fez sua estreia com a camisa do Peixe no jogo contra o Ceará, na última quarta-feira (Crédito: Ivan Storti/Santos FC)

Com pouco mais de uma semana de Vila Belmiro, o técnico Cuca vai conhecendo cada vez mais o elenco santista. E o treinador, sempre com discurso sereno e cauteloso, tem gostado do que tem visto. O futebol da equipe ainda está longe do ideal, segundo o próprio técnico, mas a postura dos atletas…

Autor do gol de empate contra o Ceará, Jean Mota também foi o primeiro atleta a marcar um gol na nova “era Cuca”. E o treinador elogiou a postura do jogador, que foi titular na lateral esquerda com a ausência de Dodô, suspenso.

(Jean Mota) É menino bom. Tinha proposta de fora, me procurou e falei que achava que devia ficar. E na primeira utilidade fez o gol, veio agradecer, conversar. Ele ficou porque quis ficar. Se quisesse ir, teria ido. Então temos de valorizar esse tipo de jogador”, explicou Cuca.

Jean Mota costuma ser bastante questionado pela torcida. Principalmente quando atua no meio de campo, pois a equipe vem sofrendo o ano inteiro com a falta de criatividade no setor.

Situação diferente vive Bryan Ruiz. O costarriquenho acaba de desembarcar na Vila e é uma das apostas do torcedor para esse segundo semestre. O jogador é apontado como o camisa dez que faltava para fazer o time pensar.

Mas na sua estreia, no jogo contra o Ceará, Bryan mostrou falta de sintonia com o time. Falta de ritmo de jogo, adaptação ao futebol brasileiro… Os motivos já foram abordados por Cuca em entrevista logo após o jogo, e o treinador voltou a defender o atleta de qualquer crítica.

“Vai ter mais chances, claro, menos não dá (risos). Tem de estar no ideal, requer tempo. Ele mais ou menos sabe o nome dos companheiros, que dirá características… Tem de ter entrosamento, paciência. As coisas vão andando”, falou o treinador, que com o seu modo de trabalhar vem buscando dar a cada dia mais confiança aos atletas.