Em alta, Gabigol tem chances remotas de ficar no Santos

Por | 2018-11-08T08:55:44+00:00 8 de novembro de 2018, 10:00 |

Gabigol voltou ao Peixe neste ano e fez história ao anotar o gol de número 12.500 na história do clube (Crédito: Ivan Storti/Santos FC)

Com o final do ano se aproximando, um assunto vem cada vez mais à tona: o atacante Gabigol tem chance de ficar no Santos para a temporada 2019? Para tentar responder a pergunta, o Diário do Peixe traz tudo que sabemos sobre a situação do camisa 10.

Emprestado pela Inter de Milão, da Itália, até o final do ano o atacante tem chances remotas de continuar no Peixe. O presidente José Carlos Peres já disse que os chineses que comandam o clube italiano querem reaver o dinheiro pago para contratar o atacante: cerca de 100 milhões de reais.

Assim, a Inter só toparia renovar o empréstimo se o Santos topasse pagar cerca de 22 milhões de reais para ter o camisa 10 por mais um ano. O valor alto tem explicação: Gabigol fechou um contrato de cinco anos com os italianos, ou seja, como a transferência foi de 100 milhões, a Inter gastou cerca de 20 milhões por ano para contratar o atacante por cinco temporadas.

Os italianos topam vender o jogador desde que recuperem o investimento, o que está totalmente fora de questão no Santos. O Peixe usou do argumento de recuperar o atleta para conseguir fechar o empréstimo e pagou cerca de 6 milhões de reais à vista para a Inter pela transação, pagando hoje somente uma “ajuda de custo” salarial ao atacante.

O Santos sabe da dificuldade de renovar o empréstimo, mas vai tentar oferecer aos italianos a renovação do vínculo por mais um ano aumentando a porcentagem salarial paga pelo Peixe. No entanto, o argumento de recuperar o jogador já não é mais válido, uma vez que Gabigol foi artilheiro da Copa do Brasil e deve fechar o ano como goleador máximo também do Campeonato Brasileiro.

O desempenho atrai interessados tanto na Europa quanto no Brasil; Palmeiras e Cruzeiro já demonstraram interesse em contar com Gabigol. A vontade do atacante é retornar para o velho continente apenas se for para jogar na própria Inter ou para algum projeto interessante em um novo clube (ele sonha com Inglaterra), do contrário ele fará força para seguir no Brasil. O Peixe é prioridade, mas não exclusividade.

Assim, com o clube italiano fazendo jogo duro para liberar o atacante, a tendência é que ele retorne mesmo à Europa, já que por um novo empréstimo para qualquer clube brasileiro os italianos pediriam os mesmos 22 milhões de reais.

  • Comentar via Facebook
  • Comentar via Diário
Carregando comentrios...

Deixar um Comentário