Gabriel Brazão soma oito jogos com a camisa do Santos (Foto: Raul Baretta / Santos FC)

Há quatro jogos sem perder, o Santos voltou à liderança da Série B do Campeonato Brasileiro. E por trás dessa marca está um defesa sólida, que não tomou gol em nenhum desses jogos.

Jogador mais experiente do grupo, Gil é a referência defensiva da equipe, mas um outro jogador começou a ganhar destaque nos últimos dois jogos: Gabriel Brazão. O goleiro de 23 anos entrou no time na partida contra o América-MG, quando João Paulo se machucou, e depois de um começo difícil, com derrotas consecutivas e muitos questionamentos da torcida, o atleta começa agora a colher frutos.

“Eu sempre acreditei que uma hora as coisas iriam acontecer. Creio que o trabalho devolve. E eu vinha treinando bem. Sabia que o momento de poder ajudar o grupo ia aparecer, só tinha que seguir trabalhando. Sabia que tinha a confiança dos companheiros, comissão e diretoria, então só tinha que seguir trabalhando que as coisas que eu fazia no treinamento iriam aparecer nos jogos e foi o que aconteceu. A confiança vai aumentando, aumentado a segurança. A gente brinca que vai conhecendo os atalhos do campo, que vai nos ajudando no posicionamento, e isso vem com o tempo”, disse Brazão em entrevista ao canal De olho no Peixe na noite de terça-feira.

E tempo em campo é o que levou Brazão a escolher o Santos. Com passagens pela seleção de base, Brazão saiu cedo do País e antes de desembarcar na Vila estava no futebol italiano, na Inter de Milão. Mas na Europa ele pouco jogou, tanto que na carreira completará contra o Ituano, na segunda-feira, 20 jogos como atleta profissional. Só no Santos ele soma quase metade dessas partidas (8).

Apesar de pouca rodagem, Brazão mostra confiança nas suas palavras. Ele acredita estar no seu auge nesse momento. E não só por estar jogando, mas também por não conviver mais com sérias lesões. O goleiro já passou por duas cirurgias no joelho, problemas que o prejudicaram no passado.

“Me sinto no meu auge físico, mental e técnico. Evolui muito tecnicamente aqui no clube desde que cheguei. Jogo após jogo eu consigo me sentir melhor, o Gabriel de verdade, aquele Gabriel que todo mundo esperava, comentava…e a confiança vai vindo, vou me sentindo cada vez melhor”, falou o arqueiro, que disse não temer concorrência na briga pela titularidade. O Santos está no mercado em busca de reforços, e contratar um goleiro experiente é uma das metas do clube.

“Em questão de contratação, se chegar alguém será bem recebido por nós. Acho que temos uma disputa saudável no clube. Temos Diógenes, que é um grande goleiro, Gustavo Jundi do Sub-20 e o João Pedro. Não vejo rivalidade. Nunca teve rivalidade com o Joao Paulo, sempre trabalho em equipe. Temos uma amizade muito boa. Contratação deixamos para a diretoria, estamos aqui para ajudar da melhor maneira possível e se chegar, quem chegar será para somar” finalizou o arqueiro alvinegro.