Ricardo Goulart deve estrear pelo Santos contra o Corinthians (Crédito: Ivan Storti/ Santos FC)

Liberado para estrear pelo Santos após mais de duas semanas, o meia-atacante Ricardo Goulart não esconde a ansiedade jogar pelo Peixe. Ele deve atuar contra o Corinthians nesta quarta-feira, em clássico válido pela 3ª rodada do Campeonato Paulista

A demora da regularização se deu pelo visto de trabalho da Federação Chinesa, uma vez que o jogador é naturalizado chinês. O documento demorou para chegar e ele foi desfalque nas duas primeiras rodadas do Paulistão.

“Muito feliz por ter meu nome no BID. Quero agradecer o esforço do Santos, pois foi um trâmite muito complicado. Mas deu tudo certo, estou apto a jogar e muito ansioso também. Motivado demais com um jogo dessa grandeza. Todos os atletas sonham em jogar clássicos. Hoje estou tendo a oportunidade de vivenciar isso novamente, já que fazia um bom tempo que não jogava um clássico no Brasil. Espero que o Santos possa fazer um grande jogo fora de casa e conseguir os três pontos”, afirmou o camisa 10.

O camisa 10 do Peixe vem trabalhando normalmente no CT Rei Pelé. O atleta foi muito bem recepcionado pelos jogadores. Com boa técnica, liderança e posicionamento, Goulart mostrou ser um atleta “de grupo”.

“Ganhei mais uma semana intensa de trabalho e sei como esse início de pré-temporada é importante para adaptação, entrosamento com a equipe, etc. Fizemos uma grande pré-temporada, agora é descansar e pensar no clássico, que vai ser bem difícil”, ressaltou o atleta de 30 anos.

Ainda sem vencer no Campeonato Paulista, com uma derrota e um empate, o Santos precisa quebrar um tabu nesta quarta (2) para alcançar a recuperação na tabela. O Alvinegro Praiano não bate o Corinthians em Itaquera há seis anos. O último triunfo aconteceu em agosto de 2015, por 2 a 1, pelas oitavas da Copa do Brasil. Para Goulart, porém, o Peixe precisa esquecer o passado para conseguir os três pontos no clássico.

“Infelizmente não tivemos os tropeços nas primeiras rodadas, mas vamos deixar isso para trás. Temos que somar cada vez mais pontos e queremos começar amanhã. É um tabu um pouco longo, mas espero que a gente possa começar o ano de uma forma bem diferente. Nossa equipe está preparada, assimilamos muito bem tudo que o professor Carille passou, então espero que a gente possa fazer um grande jogo lá e acabar com esse tabu”, concluiu o meia-atacante.