Vila Belmiro segue sem jogos por tempo indeterminado (Crédito: Divulgação/SantosFC)

O Sindicato dos Atletas do Rio de Janeiro, representando os jogadores de futebol do Brasil, negou a proposta de férias e redução salarial feita pelos clubes nesta semana. A negativa faz com que um acordo coletivo seja ainda mais difícil de existir e a tendência é que cada clube negocie individualmente com os seus atletas.

Para seguir numa negociação coletiva, os jogadores pedem que a CBF seja avalista das dividas dos clubes, uma vez que os atrasos salariais têm sido comum no Brasil. A entidade não deve aceitar a participação como avalista. As informações são do Blog do PVC.

A proposta dos clubes era de dar aos atletas férias coletivas a partir de abril, 10 dias de férias entre o fim do ano de 2020 e início de 2021 e redução de 25% nos salários dos jogadores. Tudo dentro do permitido pela legislação brasileira.

A redução salarial é um assunto discutido no mundo do futebol, já que quase todas as competições estão paradas. Os estaduais, a Copa do Brasil e a Libertadores já estão atrasadas. Não se sabe o que será decidido do Campeonato Brasileiro.

Nesta semana, os jogadores do Borussia Dortmund, Borussia M’gladbach e Bayern de Munique, todos da Alemanha, toparam a proposta dos clubes e terão seus vencimentos reduzidos, para ajudar a equipe a superar a crise que Pandemia trará.