Carlito retornou ao Santos em setembro de 2023 após 8 anos longe do clube (Foto: Raul Baretta / Santos FC)

O Santos vem enfrentando pesadelos com lesões musculares no final desta temporada. Recentemente, dois titulares, Soteldo e João Basso, sofreram lesões desse tipo, somando-se a outros quatro jogadores que já haviam sido diagnosticados pouco tempo antes.

Após a vitória sobre o Goiás por 1 a 0, o preparador físico do clube, Carlito Macedo, explicou na zona mista a situação com a qual vem lidando. Segundo ele, o trabalho tem sido eficaz, mas as condições climáticas adversas, com chuvas intensas nos últimos jogos, resultaram em campos pesados, com poças e lama.

“Com a proximidade dos jogos, a recuperação torna-se ainda mais crucial. Estamos realizando um trabalho conjunto com fisiologia, fisioterapia e o departamento médico para recuperar esses atletas, o que é fundamental e tem dado resultados. No entanto, por vezes, não conseguimos controlar totalmente a situação devido ao período de chuvas intensas em Santos, resultando em campos pesados com poças e lama. Mesmo assim, estamos conseguindo gerenciar e equilibrar o treinamento desses atletas, e o Marcelo (Fernandes) tem procurado revezar os jogadores nas oportunidades”, explicou o preparador.

Carlito também destacou as diferenças nas viagens entre os clubes no Campeonato Brasileiro, em contraste com a situação na Europa, onde as viagens são mais curtas. Ele apontou isso como mais um desafio para o clube manter o preparo físico dos seus atletas.

“Às vezes, as pessoas falam sem conhecimento da situação de um campeonato extenso como o Brasileiro, com viagens continentais. Em outros lugares, você não enfrenta essa situação, principalmente na Europa, onde tudo é mais próximo. Mas no Brasil, o campeonato é extremamente desafiador, e a comissão técnica, com o treinador, todo o departamento médico e a fisiologia, precisam trabalhar com um controle rigoroso para evitar surpresas e lesões graves”, concluiu.

Essa é a quinta passagem de Carlito pelo Santos. Tudo começou nas categorias de base do clube em 1982 e seguiu até 87. No início da década de 1990, teve uma curta passagem pelo Peixe, antes de ir para a Portuguesa Santista. Ele retorna em 1995, na comissão técnica de Cabralzinho. Já a quarta passagem se deu em 2015, quando esteve ao lado de Marcelo Fernandes na conquista do Campeonato Paulista.

Leia também: