Referência da defesa, Gustavo Henrique comemora recorde

Por | 2018-09-12T18:52:17+00:00 12 de setembro de 2018, 20:00 |

Gustavo Henrique concedeu entrevista coletiva no CT Rei Pelé nesta quarta-feira (Crédito: Diário do Peixe)

Os problemas de lesão pelos quais a defesa do Santos vem passando não afetaram o desempenho do setor. Pelo contrário. Sem David Braz, negociado com o Sivasspor da Turquia, e Luiz Felipe, lesionado, os zagueiros Gustavo Henrique, Lucas Veríssimo e até Robson Bambu se alternaram nos últimos sete jogos e igualaram o um recorde que já durava 63 anos: sete jogos seguidos sem sofrer um gol sequer.

A sequência se iniciou na vitória por 3 a 0 sobre o Sport, na Vila Belmiro, com Lucas Veríssimo e Gustavo Henrique. Na terceira partida, Gustavo cortou o supercílio e deixou o campo para entrada de Bambu. No jogo seguinte foi a vez de Veríssimo se lesionar e mais uma vez dar lugar a Bambu, que formou dupla com Gustavo no restante dos jogos.

“Fico muito feliz. Quem joga no Santos tem chance para exercer o papel. Robson está evoluindo, está mostrando isso dentro de campo. Santos tem quatro ou cinco zagueiros… Em 2016 eu fiz uma grande dupla com o Luiz. Fomos praticamente a melhor defesa de 2016. Sete jogos sem perder é muito difícil, quem dirá sem tomar gol. É muito gratificante. Creio que o sistema defensivo deveria ser mais organizado, não só no Santos, mas no futebol brasileiro”, disse Gustavo Henrique em entrevista coletiva nesta quarta-feira no CT Rei Pelé.

O grande responsável pela mudança na zaga e no time como um todo é o técnico Cuca. Desde sua estreia, no início de agosto, o Peixe deixou a zona do rebaixamento do Campeonato Brasileiro e já ascendeu a primeira metade da tabela, em 8º lugar, mesmo com uma partida a menos do que os demais.

“É um treinador que tem muita bagagem. Conquistou o grupo e chegou com a filosofia totalmente diferente do Jair. Jair é um grande profissional, mas cada um tem seu estilo. Cuca foi mais na conversa, não tivemos tempo pra trabalhar. Colocou na nossa cabeça que era marcar desde os atacantes até os zagueiros. Isso nos ajudou demais.”

A defesa do Santos, provavelmente com Gustavo Henrique e Robson Bambu, tenta bater o recorde da equipe de 1955 e ficar oito jogos sem sofrer gol no clássico deste domingo, às 16h, contra o São Paulo, na Vila Belmiro.

 

  • Comentar via Facebook
  • Comentar via Diário
Carregando comentrios...

Um Comentário

  1. Leandro 12 de setembro de 2018 em 20:42 - Responder

    Foi so sair o D. Brás que paramos de tomar gols.

Deixar um Comentário