Treino do time boliviano no CT Rei Pelé (Foto: Divulgação The Strongest)

Com duas derrotas nos dos primeiros jogos da Libertadores, o The Strongest também atravessa momento conturbado. Alguns torcedores pediram autorização para apoiar os jogadores no último treino antes do embarque para o Brasil, mas, o que seria uma atitude de apoio, virou manifestação.

Segundo apuração do Diário do Peixe, o time boliviano está passando por uma crise na gerência do clube, além do mau futebol apresentado no começo da Libertadores.

Depois do treino na parte física, no último sábado (1), o treinador Gustavo Florentín e os jogadores foram surpreendidos por cerca de 80 torcedores que invadiram o estádio Rafael Mendoza exigindo mais vontade e raça do elenco. Devido às ofensas, alguns jogadores se aborreceram e pediram para saírem do campo de treino, o que gerou mais conflito.

Foram ouvidos gritos de “vem para cima” de ambos os lados. Jogadores como Daniel Vaca (capitão do time), Rudy Cardozo e Diego Wayar foram conversar com os torcedores e pediram paciência. Diego, inclusive, passou para os manifestantes a preocupação com o atual momento do clube.

Algumas testemunhas no local disseram que os torcedores estavam bêbados. Após serem levados para as arquibancadas, a polícia chegou para que a saída fosse pacífica, e, sendo assim, o treinamento continuou normalmente. Quando todos se encaminharam para o ônibus, e em seguida, foram embora, houve sensação de alívio nos funcionários do clube, que temiam algo pior.

TREINO NO CT REI PELÉ

O elenco do The Strongest encerrou a preparação para o jogo contra o Peixe, no CT Rei Pelé, nesta segunda-feira (03). O Tigre não poderá contar com Raúl Castro, lesionado. Ao todo foram 24 jogadores relacionados o jogo.