Imparcialmente Santista2019-01-17T19:28:52-03:00

Imparcialmente Santista

Isabel Nascimento é criadora do canal de YouTube “Imparcialmente Santista”, no ar desde 2017, comunicadora e casperiana formada em 2016. E santista apaixonada desde sempre.

605, 2019

O Santos bagunça a cabeça da torcida

Eduardo Sasha virou titular do Santos no Brasileirão (Crédito: Ivan Storti/Santos FC) Os últimos jogos do Santos deixaram o torcedor um tanto quanto confuso, tem gente até falando que não precisamos mais de centroavante, já que temos o Sasha... As últimas performances, de fato, bagunçaram a cabeça do santista. Quando o Sampaoli soltou a escalação do jogo contra o Grêmio - com Sasha titular e Derlis, Rodrygo e Sánchez no banco -, eu acredito que 100% das pessoas exigiam explicações para tal falta de sanidade. Passados 90 minutos, ninguém criticava mais nada. Contra o Fluminense, novamente tivemos Sasha em campo e, desta vez, Victor Ferraz fora dele, com Lucas Veríssimo na lateral, mas aí o torcedor já estava no modo “in Sampaoli we trust” e iria concordar com qualquer que fosse a formação. Contra o CSA, mais mudanças. Soteldo veste o colete e Cueva inicia a partida. Alison, nosso volante incontestável, ainda não foi titular em nenhum jogo do Campeonato Brasileiro, [...]

2204, 2019

Sampaoli nos fez ter orgulho do Santos

Jorge Sampaoli foi o grande destaque do Santos no Paulista (Crédito: Ivan Storti/Santos FC) O Campeonato Paulista de 2019 foi uma clara demonstração de que efetividade está acima de qualidade e de que o futebol é um esporte injusto. Ficar com o quarto lugar e se contentar com os R$ 850 mil de prêmio é decepcionante, merecíamos muito mais, esse campeonato estava em nossas mãos, não apenas pelo nível técnico dos outros, mas pela vontade e a determinação que nossos atletas demonstraram para assumir a tal ideia "sampaolista" e colocá-la em prática incansavelmente por 90 minutos. Contratamos, descartamos, descobrimos, ressurgimos e nos destacamos exatamente da forma que o santista mais gosta, pela ofensividade. Seja só uma fase ou não, Jean Mota, com sete gols, foi o artilheiro do campeonato. Sorte é fazer um gol do meio do campo, é bater um pênalti na trave e a bola entrar. Além de goleador, Jean se mostrou importante nas três competições. Mudamos drasticamente de opinião [...]

904, 2019

O Santos tem de acreditar mais

O Santos de Carlos Sánchez foi muito superior ao Corinthians (Crédito: Ivan Storti/Santos FC) É fato, o Santos não tem sorte quando se trata de cobranças de pênaltis. Podemos culpar o último batedor, o goleiro que não caiu, aquele chute fraco, o barulho no estádio ou o nervosismo típico das decisões por penalidades. Mas, para mim, o problema esteve mesmo nos primeiros 90 minutos. Desde 2016, estamos sofrendo seguidas desclassificações nas quais o nosso time é superior, joga melhor, mas não consegue ser efetivo no primeiro jogo. Não importa se a partida é em casa, como no Paulista e na Copa do Brasil do ano passado, ou se jogamos a ida fora, como ocorreu contra River Plate-URU, Atlético-GO e Corinthians neste ano: o nosso time não consegue matar a eliminatória no primeiro jogo mesmo tendo boas oportunidades para isso. É difícil encontrar uma única razão, mas o Santos não consegue ser efetivo logo de cara, aí sofre um resultado negativo e, depois, [...]

2803, 2019

A nossa camisa pesa. E muito!

O Santos passou sem sustos pelo Red Bull Brasil (Crédito: Ivan Storti/Santos FC) É oficial: o Santos de Jorge Sampaoli será perigoso e temido em todas competições de que participar, deve ser visto dessa maneira e deve, principalmente, demonstrar a sua superioridade em campo. “Ah, o clube não tem dinheiro, está quebrado, o time não tem um esquema tático definido, não tem técnico com pulso forte, não tem contratações de peso, não dá para jogar com Yuri e Copete, não temos lateral...”. Com a contratação do Jorge, hoje o santista não tem mais desculpa: temos todas as cartas na manga e qualidade para enfrentar qualquer time do Campeonato Brasileiro de forma equilibrada. Jogamos as quartas de final do Paulista como equipe grande, soubemos controlar o jogo, segurar o nervosismo, anular o melhor ataque e a melhor campanha do torneio sem o nosso principal jogador na primeira fase, Derlis González. Vi muitos torcedores com medo de enfrentar o Red Bull e não podemos [...]

1403, 2019

Atenção, torcedor: todo jogo importa

Torcida do Santos faz festa em frente ao Pacaembu (Crédito: Divulgação/Santos FC) Eu torci um ligamento no dia 27 de fevereiro, inicialmente oito dias afastada e mais duas semanas para começar a tentar voltar a treinar (gostaria de dizer que jogo bola, mas nasci sem habilidade, eu faço crossfit mesmo) e andar normalmente. Na hora em que o doutor disse que eu teria de ficar imobilizada eu quase surtei, sou extremamente ativa e me imaginar em uma cama fazendo gelo, sentindo dor e sem saber quanto tempo duraria a recuperação foi muito complicado. Naquela semana, as vendas de ingressos para o jogo contra o Oeste já indicavam um péssimo público e eu fiquei ainda pior quando percebi que, além de tudo, ficaria afastada das arquibancadas por um tempo. Não vou negar que pensei em ir ao Pacaembu naquele sábado de Carnaval, mas entendi que aquele temporal absurdo era um sinal de que estava fazendo algo errado. Meu pai foi, chegou ensopado, 11 [...]

303, 2019

O Santos de Sampaoli é um time destemido

O Santos venceu o Oeste com um gol no último minuto (Crédito: Ivan Storti/Santos FC) Intensidade, insistência e técnica, essas são as três palavras que definem o Santos atual. Havia tempos eu não via a exposição de um padrão de jogo tão definido. É nítido quando conseguimos apresentar nosso esquema de jogo e mais nítido ainda quando temos dificuldade para desenvolvê-lo, mas o que mudou é que não desistimos, não somos mais aquele time covarde de antes. Jogamos da mesma forma independentemente do adversário. É claro que adaptamos alguns pontos, mas é bonito ver como nos postamos de maneira destemida e incansável. Poucas vezes víamos disposição para virar uma partida, éramos acomodados com placares magros e empates, muito pela falta de confiança dos atletas neles mesmos e no sistema de jogo. Não existia um plano a cumprir ou uma voz de comando respeitada. Nossos números de posse de bola são 65%, 70% ou até 80%, mas não é igual à época de [...]